Pesquisar

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Você conhece a Bíblia? - Amós

Amós é o 8º Livro dos Profetas, sendo o 3º Profeta Menor. Contém 9 capítulos e 146 versículos. O nome Amós significa fardo (uma de minhas Bíblias diz que é "aquele que suporta o jugo").

85 versículos são proféticos, ou 58% do livro. Muitas profecias entre as 25 predições já foram cumpridas.


Autor e Data

Amós era um pastor de ovelhas e cultivador de sicômoros, que vivia no deserto de Tecoa, ao sul de Jerusalém.
Ele era do Reino do Sul, mas Deus o chamou para o Reino do Norte. Ele profetizava lá, e por suas profecias, o sacerdote Amazias o expulsou de Betel (7.10-17). No v. 15 ele explica sua origem rural, e manifestou como o SENHOR o chamou.

Ao receber o chamado de Deus, Amós tornou-se um profeta de justiça social e pregou com linguagem dramática, condenando intrepidamente a religião superficial e idólatra que acolhia em seu seio a corrupção moral.

Ele foi o primeiro dos assim chamados profetas escritores do século VIII a.C. (os outros foram Oséias, Miquéias e Isaías).

Amós profetizou durante os reinados de Uzias (792-740 a.C. em Judá), e Jeroboão II (793-753 a.C. em Israel). Seu ministério foi realizado entre 760 e 750 a.C. e parece ter ocorrido em menos de dois anos.

Algo de Amós

A metade do século VIII a.C., foi marcada pela prosperidade nos dois reinos. Jeroboão II e Uzias reinaram em meio ao progresso, a prosperidade, a vitória. Era uma época de auge político, militar e econômico. Isso no reino físico, porque no reino espiritual a coisa tava feia: idolatria com força total, ricos na luxúria, pobres eram oprimidos, imoralidade generalizada, justiça corrompida. Como muitos crentes de hoje, seguidores dos erros da Teologia da Prosperidade, viam suas riquezas e prosperidade como sinal da bênção de Deus. Mas, Deus, através da boca de Amós, mostrou que não estava feliz com a nação.

O Livro de Amós é basicamente uma mensagem de julgamento: sobre as nações e sobre Israel. O tema central do livro é que o povo tinha quebrado seu concerto com Deus.

Nos primeiros dois capítulos do Livro, ele pronuncia acusações sobre os sete vizinhos de Israel, incluindo Judá, e, depois Israel, utilizando o artifício poético hebraico da repetição. Usando este método e a frase "três transgressões [...] por quatro", o profeta introduz cada profecia de juízo.
O julgamento de Deus sobre as nações nos lembra que ele é o Rei das Nações, Senhor dos Senhores e Soberano de toda a Terra.
Os capítulos 3-6 são três oráculos para Israel, admoestando o povo acerca da falsa adoração, da corrupção pecaminosa e do amor excessivo ao luxo e prazer. Os capítulos7-9 contêm cinco visões de julgamento (gafanhotos, fogo, o prumo, cesto de frutos e o juízo iminente), em duas delas o Senhor se retira. Finalmente, Amós profetiza a restauração para os filhos de Israel (9.11-15).

Ainda sem cumprimento é a maravilhosa passagem em 9.8-15, que prediz severa destruição, mas não o fim definitivo de Israel. Depois de lamentar os muitos pecados do seu povo, Amós descreve a restauração final e a prosperidade de Israel na era do Reino Milenar, quando o grande Filho de Davi, Jesus, o Messias, reinar em esplendor.

Amós nos ensina que a retidão e a justiça são essenciais para uma sociedade saudável. Religião é mais do que observar rituais (festas, assembleias santas); a verdadeira religião exige um viver de retidão.
O modo como uma pessoa trata seu próximo revela seu relacionamento com Deus. Isso nos lembra dos Dois Mandamentos: amar a Deus e amar ao próximo como a nós mesmos. Esta é a mensagem de Amós, e esta é a mensagem hoje.

Nós estamos vivendo em uma sociedade próspera, materialista, capitalista, que só quer saber de dinheiro. As próprias igrejas foram contaminadas com o espírito do amor ao dinheiro, estão dominadas por Mamon.
Por termos a prosperidade, podemos nos enganar pensando que temos as bênçãos de Deus sobre nós. O pensamento de darmos bens materiais a Deus, crendo que o satisfazemos assim, estará sempre presente em muitos de nós.

A prosperidade material quase sempre leva as pessoas a se corromperem espiritual e moralmente. Não foi por acaso que Jesus disse que é difícil um rico entrar no reino dos céus.
Observar ritos externos não é o suficiente. Deus exige nossa obediência - uma atitude sincera que esteja pronta para satisfazer as necessidades do nosso próximo. Não é o obedecer melhor do que o sacrificar?

Amós fala sobre os profetas de Deus como servos e diz que Deus nada faz sem revelar seu plano para seus servos, os profetas (Am 3.7). Por isso, fique atento ao que Espírito Santo diz à Igreja através de (verdadeiros) profetas.
João fala acerca do soar da sétima trombeta, quando se cumprirá o segredo de Deus, como anunciou aos profetas, seus servos (Ap 10.7).

Sobre o terremoto mencionado em Am 1.1 (e também em Zc 14.5), escavadores que trabalharam em Hazor encontraram evidências, com as quais dataram o terremoto em cerca de 760 a.C.


Amós 2
11 E dentre vossos filhos levantei profetas e dentre os vossos jovens, nazireus. Não é isso assim, filhos de Israel, diz o SENHOR.
12 Mas vós aos nazireus destes vinho a beber e aos profetas ordenastes, dizendo: Não profetizeis.

Amós 3
3 Porventura andarão dois juntos, se não estiverem de acordo?
4 Rugirá o leão no bosque, sem que tenha presa? Levantará o leãozinho no seu covil a sua voz, se nada tiver apanhado?
5 Cairá a ave no laço em terra, se não houver armadilha para ela? Levantar-se-á da terra o laço, sem que tenha apanhado alguma coisa?
6 Tocar-se-á a trombeta na cidade, e o povo não estremecerá? Sucederá qualquer mal à cidade, e o SENHOR o terá feito?
7 Certamente o Senhor DEUS não fará coisa alguma, sem ter revelado o seu segredo aos seus servos, os profetas.
8 Rugiu o leão, quem não temerá? Falou o Senhor DEUS, quem não profetizará?10 Porque não sabem fazer o que é reto, diz o SENHOR, entesourando nos seus palácios a violência e a destruição.

Amós 4
12 Portanto, assim te farei, ó Israel! E, porque isso te farei, prepara-te, ó Israel, para te encontrares com o teu Deus.
Porque é Ele o que forma os montes, e cria o vento, e declara ao homem qual é o seu pensamento, o que faz da manhã trevas e pisa os altos da terra; SENHOR, o Deus dos Exércitos, é o Seu nome.

Amós 5
4 Porque assim diz o SENHOR à casa de Israel: Buscai-me e vivei.
14 Buscai o bem, e não o mal, para que vivais; e assim o SENHOR, o Deus dos Exércitos, estará convosco, como dizeis

Amós 9
11 Naquele dia tornarei a levantar o tabernáculo caído de Davi, e repararei as suas brechas, e tornarei a levantar as suas ruínas, e o edificarei como nos dias da antiguidade;

Muitos pregadores/cantores gostam muito do versículo 11 do capítulo 8:
"Eis que vêm dias, diz o Senhor JEOVÁ, em que enviarei fome sobre a terra, não fome de pão, nem sede de água, mas de ouvir as palavras do SENHOR."
Têm um porém. O versículo 12 diz:
"E irão errantes de um mar para até outro mar e do Norte até ao Oriente; correrão por toda parte, buscando a palavra do SENHOR, e não a acharão."
Fica claro que isso não faz parte de uma avivamento. A fome e a seca já tinham sido castigos de Deus sobre Israel. Mas esse nova forma de fome e sede refere-se à Palavra de Deus. Especificamente, a mensagem entregue por um profeta.
Nenhuma garantia existe de que Deus atenderá o clamor deles. Pelo contrário, o v. 13 diz que as virgens e os jovens desmaiarão de sede. Nenhuma orientação de Deus em tempos da necessidade. Tudo estará em silêncio.
Não é uma falta de verdade divina, é a incapacidade de trazer uma mensagem verdadeira de Deus, uma mensagem profética. Isso pode ser dito da situação de hoje - muitas vozes declaram falar em nome de Deus, mas poucas são fiéis à Sua santa Palavra.

Fonte:
- Bíblia de Estudo Profética;

- Bíblia de Estudo Plenitude.