Pesquisar

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Você conhece a Bíblia? - Oséias

Oséias é o primeiro dos Profetas Menores, chamados pelos judeus de Os Doze. Possui 14 capítulos e 197 versículos. O nome Oséias significa salvação.

Nada menos do que 28 profecias específicas envolvem 111 versículos, ou seja, 56%.


Autor e Data

A julgar pela época dos reis durante cujos reinados Oséias profetizou (Os 1.1),seu ministério se estendeu de cerca de 770 a 725 a.C. Sua profecia foi direcionada ao reino de Israel (Reino do Norte, sua terra natal) nos dias de Jeroboão II (782-753 a.C) e durante o reinado de Uzias, Jotão, Acaz e Ezequias, cujas épocas abrangeram todo o século VIII a.C.

Amós e Isaías foram contemporâneos de Oséias.

Continuamente advertindo o povo a se arrepender de sua infidelidade, Oséias foi chamado por Deus para exemplificar o relacionamento entre Deus e Israel por meio do seu casamento com uma prostituta (Gômer).

Algo de Oséias

O reinado de Jeroboão II em Israel era de prosperidade e paz, exteriormente tudo estava bem. Mas espiritualmente o povo estava se afastando mais e mais de Deus.

Oséias descreve as características de seu tempo: líderes corruptos, vida familiar instável, imoralidade generalizada, ódio entre classes, pobreza, e claro, a idolatria. Embora as pessoas continuassem uma forma de adoração, a idolatria era mais e mais aceita, e os sacerdotes estavam falhando na tarefa de guiar o povo nos caminhos da justiça. Apesar das trevas desse tempo, o profeta oferece esperança para inspirar seu povo a voltar-se novamente para Deus.

Depois que Israel se dividiu, o Reino do Norte mergulhou no paganismo e na idolatria até 722 a.C, quando foi invadido pela Assíria. Com seu próprio casamento e família como uma trágica ilustração, Oséias tece o tema do amor de Deus por Seu povo escolhido, o qual é retratado como a esposa adúltera do Senhor, temporariamente abandonada, mas no final purificada e restaurada. Fechando o livro de profecia com uma nota de esperança e reconciliação depois da punição, a promessa de Deus brilha: Eu sararei a sua infidelidade, Eu voluntariamente os amarei; porque a Minha ira se apartou deles (14.4).

De interesse especial é o capítulo 3, que apresenta o passado, o presente e o futuro de Israel. Ilustrando o passado adúltero de Israel está a infidelidade de Gômer para com Oséias, que a compra de volta de sua escravidão à prostituição. A longa história de Israel e sua era presente são profetizados e ilustrados nos versículos 3, 4. Na futura era do Reino Milenar, todo o Israel retornará, buscando ao Senhor e voltando-se a Davi, cujo descendente é Jesus, o Rei (3.5).

O Livro de Oséias é a respeito de um povo que tinha a necessidade de ouvir sobre o amor de Deus, de um Deus que queria falar com eles e da maneira singular que Deus escolheu para demonstrar seu amor a seu povo. O povo pensava que o amor poderia ser comprado (... mercou Efraim amores, 8.9), que o amor era uma busca de uma auto gratificação (Irei atrás de meus namorados que me dão... 2.5) e que, amando objetos sem valor, pudesse conseguir benefícios positivos (... se tornaram abomináveis como aquilo que amaram, 9.10). Deus quis que Israel conhecesse Seu amor, um povo que buscou objetos sem valor (Quando Israel era menino, eu o amei... 11,1), foi guiado com uma meiga disciplina (cordas de amor, 11.4) e que persistiu, apesar de o povo correr e da resistência dele (Como te deixaria?. 11.8).

O problema era como levar a mensagem de um Deus de amor a um povo que não estava inclinado a dar ouvidos e que , provavelmente, não entenderiam se ouvissem. A solução era Deus deixar o profeta ser seu próprio sermão.
Oséias se casaria com uma mulher impura (mulher de prostituições), a amaria inteiramente, e dela teria filhos, e iria atrás dela, e a traria de volta quando ela se desviasse. Em resumo, Oséias tinha de mostrar seu próprio amor a Gômer, filha de Diblaim, o tipo de amor que Deus tinha por Israel.

Os filhos de Oséias e Gômer:
Jezreel - Os 1.4. Significa Deus dispersa ou Deus espalha (o significado positivo é Deus semeia). Jezreel era o nome do lugar onde Jéu matou Jezabel, Jorão e os 70 filhos de Acabe (II Rs 10.11). Agora Deus fará cessar toda a dinastia de Israel.
Lo-Ruama - Os 1.6. Significa Sem Misericórdia, indica a retirada da compaixão do Senhor de uma nação rebelde.
Lo-Ami - Os 1.9. Significa Não-Meu-Povo. Indica o fim do relacionamento.
Retiramos algumas lições do Livro de Oséias:

1. Se as pessoas ao nosso redor não veem o amor de Deus em nós, elas não irão encontrá-Lo em lugar nenhum. Como aconteceu com Oséias, todos os crentes são chamados a demonstrar a seus vizinhos, através das suas atitudes e por suas ações, o amor de Deus em Cristo a um mundo que anda tateando cegamente em busca de um amor autêntico.

2. Nós não podemos separar nossos testemunhos e nossos ministérios de nossa vida. O mais forte sermão de Oséias foi seu relacionamento com a sua esposa. A fonte de seu poder na pregação estava em seu lar e sua família.

3. O único exemplo perfeito de amor é encontrado no próprio Deus. Quando Deus contrai matrimônio com Seu povo, Ele recita votos que prometem permanência, um relacionamento correto, um tratamento justo, um amor inabalável, ternura, segurança e uma auto-revelação contínua (2.19-20). Nossa sede de amor deve ser saciada nessa fonte; então, saciar a sede do próximo, oferecendo-lhe não a melhor forma de amor humano que nós podemos dar, mas o puro amor de Deus em Cristo.

Mateus vê em Os 11.1 uma profecia do Messias sendo levado quando bebê para o Egito e trazido de volta de lá, um paralelo com a longa estada de Israel no Egito e o Êxodo (Mt 2.15).

O escritor de Hebreus acha em Jesus Aquele que capacita os crentes a oferecerem sacrifícios aceitáveis de louvor pelos quais nós nos tornamos recipientes do perdão misericordioso de Deus (OS 14.2; Hb 13.15).

A Pedro, Jesus provê a base pela qual aqueles que estavam fora da família de Deus agora são admitidos a um relacionamento com Ele (Os 1.6,9; I Pe 2.10).

A Paulo Jesus cumpre a promessa de Oséias de que Alguém quebraria o poder da morte e da sepultura e trará a vitória da ressurreição (Os 13.14; I Co 1.5).

Os ensinamentos de Paulo acerca de Cristo como o Noivo e a Igreja como a Noiva correspondem à cerimônia de casamento e os votos pelos quais Deus entra num permanente relacionamento com Israel (Os 2.19-20; Ef 5.25-32).

Quando Jesus é questionado pelos fariseus por permanecer no lar de pecadores e publicanos, Ele cita Oséias para mostrar que Deus não deseja apenas palavras vazias ou rituais desumanos, mas um cuidado genuíno e preocupação com as pessoas (Os 6.6; Mt 9.13).

E, quando os fariseus acusam os discípulos de Jesus de violar o sábado, Jesus os defende com o mesmo lembrete de que o coração de Deus coloca o interesse pelas necessidades humanas acima das formalidades religiosas (Mt 12.7).
O Livro de Oséias ensina duas lições a respeito do Espírito Santo:
1) É importante depender da presença do Espírito e
2) coisas negativas acontecem quando o Espírito está longe de uma vida.
Oséias usa a frase "o espírito de luxúria" e "o espírito da prostituição" (4,12; 5.4), e conta as consequências de ser preenchido com um espírito impuro. Como Paulo em Efésios, o profeta relaciona tal espírito com o vinho, que escraviza o coração. Esse espírito de luxúria também faz as pessoas se desviarem para falsos caminhos e falsas adorações, em contraste com o Espírito Santo, que nos guia para caminhos verdadeiros e para a verdadeira adoração (Os 4.11-13; Ef 5.17-21). João registra as palavras de Jesus acerca do ministério do Espírito Santo, que irá testemunhar a Cristo; por outro lado, o espírito de luxúria abstém as pessoas de conhecerem a Jesus (Os. 4; Jo 15.26).
O amor de Oséias por sua desobediente e infiel esposa nos faz lembrar que o mais importante fruto do Espírito é o amor.

Fonte:
- Bíblia de Estudo Profética;
- Bíblia de Estudo Plenitude.