Pesquisar

domingo, 5 de junho de 2011

Pequenos Pensamentos 8 Unicidade

No Pequenos Pensamentos 4 nos dedicamos aos que não acreditam que Jesus é Deus, mostrando na Bíblia, em poucos exemplos, se o Filho de Deus reinvidicou o ser igual a Deus. Em Pequenos Pensamentos 7 provamos que o Espírito Santo não é uma simples força impessoal, Ele é Deus.

Neste vamos falar do Unicismo...

Você sabe o que é Unicismo? Unicistas crêem que Jesus é Deus... mas negam a Trindade. Para os unicistas, o Pai, o Filho e o Espírito são a mesma pessoa, que age com três nomes diferentes.
Eles não acreditam na Trindade, usando os dois mesmos argumentos dos que negam a divindade de Cristo: seria politeísmo crer na Trindade, pois seriam três deuses; e a Trindade é ilógica, irracional, impossível.


==História==

Já nos primeiros séculos do Cristianismo líderes se levantaram contra a divindade de Jesus e contra a Trindade. O presbítero Sabélio, da Igreja no norte da África, foi um deles. Ensinava que Jesus era o YHWH do Antigo Testamento e a Única Pessoa da Divindade. "Pai, "Filho" e "Espírito Santo" eram somente três nomes para o mesmo Ser divino: se referiam a certos aspectos do caráter de Jesus e não a outras Pessoas. O modalismo ou sabelianismo como é frequentemente denominado foi rejeitado como herético em 261 (fontes patrísticas chamavam seus seguidores de Noecianos; Tertuliano batizou-a de Patripassianismo [o Pai sofreu na cruz].)

O unicismo atual iniciou-se nos primeiros anos do Avivamento Pentecostal, em 1913, com a controvérsia Só Jesus. Líderes começaram a ensinar que o batismo cristão não deveria ser feito no nome do Pai, do Filho e do Espírito, mas apenas no nome do Senhor Jesus Cristo, pois é assim que os primeiros discípulos faziam em Atos.

Todos que a aceitavam eram rebatizados apenas no nome de Jesus. Mas, Jesus não mandou batizar no nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo? Alguém recebeu uma "revelação". Os três eram uma só pessoa, e seu nome era Jesus Cristo. Jesus revelava distintos aspectos de sua natureza, apresentando-se como Pai e Espírito Santo, porém estas não eram três Pessoas. A divindade consistia somente em Jesus.

Também chamados de Apostólicos, Pentecostalismo da Unicidade e Pentecostais do Nome de Jesus, esta nova questão provocou a primeira divisão na nascente Assembléia de Deus americana.

Um dos grandes nomes do Pentecostalismo da Unicidade foi William M. Branham, um dos primeiros evangelistas de cura divina. Por muitos ele é considerado o maior profeta do século XIX, apesar dos seus ensinos muito loucos. Exemplos de unicistas famosos hoje são o Bispo T. D. Jakes, da The Potter`s House em Dallas, famoso televangelista neopentecostal americano, e, no Brasil, a Igreja Voz da Verdade, conhecida por causa da Banda de mesmo nome.

Baseados em alguns textos, o Unicismo advoga que o Pai, Cristo e o Espírito são Um, apenas Uma Pessoa, rejeitando o trinitarianismo como doutrina diabólica.
É verdade que a Unicidade seria mais lógica que a Trindade. Seria bom se fosse verdade, mas ela não é. O Unicismo é tão sem sentido quanto negar a divindade do Filho.

==O que diz a Bíblia==

A Bíblia ensina que o Pai é Deus, o Filho é Deus e o Espírito Santo é Deus. Negar isto é ir contra a Palavra de Deus.

Os problemas dos unitaristas estão nas próprias falas de Jesus. É verdade que vários versículos dão margem à interpretação unicista. [Eu e o Pai somos um.]

Mas....

No batismo de Jesus por João o Batista, as Três Pessoas se mostram. O Pai fala do céu, o Filho está na água e o Espírito vem em forma corpórea. Era tudo isso uma encenação? Jesus estava mentindo para o povo? Estava brincando de ventríloquo? Sim, pois que alternativa há para ser verdade o ensino contrário à Trindade?

Ele ensina sobre a Trindade em João 14.16,26; 15.26. Promete pedir ao Pai para enviar o Espírito Santo. Não podemos negar a divindade do Filho (Jesus é Deus), nem a do Espírito. Como negar a Trindade se o próprio Filho a ensina? Ele estaria mentindo quando dizia isso? Sim, pois apenas se Ele mentisse esses versículos não falariam da Trindade.

Em Mateus 28.19 Ele manda batizar em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Desde as primeiras palavras de Jesus registradas nas Sagradas Escrituras até os últimos encargos dados aos seus discípulos antes da ascensão, Ele fala de Deus como seu Pai e, portanto outra personalidade. (Veja, por exemplo, Lucas 2.49; João 3.16,17; 5.43; 12.49; 16.28; 20.21). O Evangelho de João, um dos mais usados para "provar" a Unicidade, fala constantemente de Jesus se referindo ao Seu Pai. Ele não agradeceu ao Pai por ouvi-Lo quando da ressurreição de Lázaro?

Se Jesus é o Pai, e a Trindade não existe, para quem Ele orou em João 17 (e pra quem Ele sempre orava)? Então em João 3.16, quem será este Filho unigênito? Que significa João 1.1,2,14 quando nos diz que o Verbo estava com Deus e que era o unigênito Filho de Deus? A promessa de Jesus de enviar outro Consolador a seus discípulos seria uma mentira se foi Ele mesmo quem voltou na qualidade de Espírito Santo. E que sucedeu com seu corpo ressuscitado? Os Anjos indicaram que Jesus voltaria tal como o haviam visto ir para o céu (Atos 1.11). Não sucedeu assim quando veio o Espírito Santo (At 2.1-4). Como é que Estevão viu Jesus à destra de Deus, se Jesus é o próprio Pai?

Pedro pregando na casa de Cornélio (At 10.38-42), ensina a unidade em cooperação de três distintas personalidades. Efésios 2.8-18 mostra-nos como as três pessoas operam nossa salvação. Hebreus 9.14 tem a mesma mensagem: "Quanto mais o sangue de Cristo que, pelo Espírito eterno, a si mesmo se ofereceu sem mácula a Deus...?" Veja também 1 Pe 1.2; Rm 1.4-6; 1 Jo 3.23,24. Quase todas a epístolas fazem, na saudação ou na despedida, menção a Deus o Pai e a seu Filho Jesus Cristo. A bênção apostólica invoca a trindade (2 Co 13.13).

Os que crêem que só Jesus é Deus citam textos do Antigo Testamento que dizem que Deus é um (Dt 6.4; Ex 20.3; Is 44.6 etc). Dão tanta ênfase na verdade bíblica da unicidade de Deus que fecham os olhos para outra verdade bíblica: Nesta unicidade existem três Pessoas Divinas. Não podemos compreender todo o mistério da unicidade e diversidade existente na Trindade, porém cremos nisto porque a Bíblia o ensina. Este mistério da unicidade de três pessoas torna-se claro à luz da oração de Cristo em Jo 17.21-22. Jesus pede por seus discípulos: "a fim de que todos sejam um; e como és tu ó Pai, em mim e eu em ti, também sejam eles em nós".

O Antigo Testamento faz referência ao Filho de Deus. O segundo Salmo fala do Messias, o ungido do Senhor, seu Filho. Pv 30.4 e Dn 3.25 nos ensinam que Deus tem um Filho. Em Isaías 9.6 vemos que um menino haveria de nascer e levaria entre seus títulos dois dos mesmos que são dados aos outros membros da Trindade: Pai da Eternidade, Conselheiro. Deus encarnado em Jesus Cristo seria isto para humanidade. Este texto não quer dizer que Ele seria seu próprio Pai. A frase tem sido traduzida por: "Pai dos séculos", ou "Pai da Eternidade". É um texto que os Unitaristas "Só Jesus" empregam muito para negar a Trindade.

Mas como negá-la analisando-a com outros textos?

Com respeito à fórmula batismal com água, pode-se mostrar que esta foi dada por Jesus quando mandou batizar em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo (Mt 28.19). Os apóstolos evidentemente compreendiam assim - porque O desobedeceriam? - e não consideravam as palavras de Pedro em Atos 2.38 como fórmula de batismo. Os assim chamados “Pais da Igreja”, que viveram próximos aos apóstolos, ensinavam o batismo em nome da Trindade. Um deles disse: "Ninguém seja enganado nem suponha que pelo fato dos Apóstolos freqüentemente omitirem o nome do Pai e do Espírito Santo, ao fazerem menção do batismo que por isso não seja importante invocar estes nomes."

Eu sei que não é fácil explicar a Trindade. Muito menos aceitá-la. Em pouco espaço não dá pra fazer uma análise exegética dela. Mas, é a verdade. É além de nossa imaginação, mais é real pois a Bíblia assim ensina.

Se o cristianismo fosse alguma coisa que tivéssemos inventado, naturalmente poderíamos torná-lo mais fácil. Mas não é. Não podemos competir em simplicidade com pessoas que estão inventando religiões. Como poderíamos? Estamos lidando com fatos. Naturalmente, qualquer um pode ser simples se não tiver que se preocupar com fatos. (C. S. Lewis)