Pesquisar

domingo, 27 de fevereiro de 2011

XVI - Tipos de Apóstolos - Apóstolos do Século XXI


XVI - Tipos de Apóstolos

Baseado na opinião de Dr. C. Peter Wagner e Dr. Rony Chaves (em Apuntes sobre el Ministerio Apostólico)

[Leia também O que é um Apóstolo?]

A "esfera apostólica" determina a "autoridade apostólica", a qual não funciona onde quer, mas sim onde cada apóstolo foi comissionado. A autoridade apostólica deve ser exercida unicamente em certos lugares e tempos.

Peter Wagner afirma: "Apóstolos tem uma assombrosa impartição divina de autoridade, mas fora da esfera determinada por Deus, eles não tem mais autoridade do que tem outros membros do Corpo de Cristo".

Três esferas de autoridade
1 - Apóstolos Horizontais.
2 - Apóstolos Verticais.
3 - Apóstolos do Mundo Comercial (de mercado).


Apóstolos Horizontais

São ministérios mais de relação do que de denominação. A grande maioria não tem redes de igrejas ou ministérios, mas trabalham com líderes de seu mesmo nível unindo-os ou convocando-os para reuniões ou projetos específicos. São líderes de conexão de ministérios. Um exemplo bíblico é Tiago (Atos 15) que presidiu o Concílio de Jerusalém, unindo apóstolos verticais como Pedro, Paulo, Mateus, João, etc., que por si mesmos não teriam sequer se reunido.

Apóstolos de Convocação (Convening Apostle). Apóstolos que tem autoridade para convocar simultaneamente em uma base regular líderes do mesmo nível que ministram em um campo definido. Eles conectam vários apóstolos. C. Peter Wagner servia como Apóstolo de Convocação da International Coalition of Apostles, agora John P. Kelly exerce essa função na International Coalition of Apostolic Leaders.

Apóstolos Embaixadores (Ambassadorial apostles). Apóstolos com ministérios itinerantes, muitas vezes internacionais, que catalisam e nutrem movimentos apostólicos em larga escala. São conselheiros em situações difíceis, ativam a visão apostólica e provocam cúpulas ou reuniões de conselho ministerial de alto nível. John P. Kelly servia como Apóstolo Embaixador da International Coalition of Apostles. C. Peter Wagner exerce essa função atualmente na Global Spheres Inc, presidida por Chuck Pierce.

Apóstolos de Mobilização (Mobilizing apostles). Apóstolos que tem a autoridade para mobilizar os líderes e o Corpo de Cristo por uma causa ou projeto específico (Marcha pra Jesus, Oração, etc.)

Apóstolos Territoriais (Territorial apostles). Apóstolos que tem autoridade poderosa de Deus para conduzir um determinado segmento do Corpo de Cristo em uma região, território ou nação. Líderes cristãos e seculares reconhecem sua autoridade e influência na sociedade.

Apóstolos Verticais

A grande maioria dos apóstolos se encontra aqui. São líderes de organizações eclesiásticas, denominações ou redes apostólicas. Muitos os buscam para obter cobertura espiritual ou estão confortáveis com este apóstolo em particular. Paulo é um exemplo bíblico deste tipo de ministro.

Apóstolos Eclesiásticos ou Eclesiais (Ecclesiastical apostles). Sua esfera de autoridade inclue um bom número de igrejas e ministérios paraeclesiásticos, presumivelmente em uma rede apostólica liderada pelo apóstolo. É cobertura de ministros e congregações.

Apóstolos Funcionais (Functional apostles). Tem autoridade apostólica sobre indivíduos ou grupos que operam dentro de um determinado ministério, que age em uma esfera específica de serviço, como Aglow (Jane Hansen), Homens de Negócios, etc. Eles devem ser membros de uma congregação e devem ter um pastor. Em sua igreja não necessariamente funcionam como Apóstolos em seu governo local.

Membros de Equipes Apostólicas (Apostolic Team Members). Apóstolos cujos ministérios apostólicos funcionam em conjunto com um apóstolo que é visto como o líder de uma equipe de companheiros apóstolos verticais. A eles são atribuídas esferas específicas pelo apóstolo principal. Eles são mais que administradores ou assistentes.
[Para conhecer um pouco mais sobre as redes apostólicas do Brasil, visite Organizações Apostólicas.]

Apóstolos Congregacionais (Congregational apostles). Apóstolos que funcionam como pastores seniores por vários anos de igrejas com crescimento dinâmico, com mais de 800 pessoas. Devem também ter outras evidências de seu apostolado.

Apóstolos do Mundo Comercial

Wagner explica que alguns apóstolos de mercado (Marketplace apostles) são verticais (talvez dentro de uma grande empresa), enquanto outros seriam horizontais (conduzindo outros apóstolos de mercado).

Eles tem sua cobertura em uma igreja local, mas seu ministério primariamente se realiza fora da Igreja Nuclear, quer dizer, na extensão da Igreja (política, comércio, esporte, etc.)

Deve ter-se muito cuidado com estes ministérios para que não se desconectem da vida e cobertura da congregação, diz Rony Chaves.

Entre alguns famosos apóstolos de mercado mencionamos Gunnar Olson, Linda Rios Brook e Os Hillman. No Brasil, falar de apóstolos de mercado ainda não é comum.

Conclusão

Todos os apóstolos tem um dom primário, portanto, existem Apóstolos com Ministérios Múltiplos: são Apóstolos-Profetas; Apóstolos-Evangelistas; Apóstolos-Mestres; Apóstolos-Pastores, etc. Também podem existir apóstolos que são verticais e horizontais ao mesmo tempo. Esta é uma combinação de atividades apostólicas.

Rony conta em seu livro, que de acordo com o britânico Roger Mitchell, existem duas categorias de apóstolos de acordo com as características apostólicas primárias.

1- Apóstolos Fundamentais:
São os apóstolos que saem de suas fronteiras, rompendo limites para tomar novos territórios.

2- Apóstolos Reformacionais:
São aqueles que se movem para ganhar outra vez o território tomado pelos apóstolos funcionais, mas que foram perdidos parcial ou totalmente através do tempo ante as forças espirituais negativas. Um exemplo deste é João o apóstolo que retoma a Igreja de Éfeso.

>> XVII - Apóstolos no Exterior 3

Impartição - deriva do inglês impart, utilizada em Romanos 1.11, onde Paulo desejava repartir, comunicar ou impartir dons espirituais com os cristãos romanos. É uma palavra bastante usada na Nova Reforma Apostólica de língua inglesa e espanhola, mas pouco usada no Brasil.