Pesquisar

quinta-feira, 1 de abril de 2010

VI - Organizações Apostólicas - Apóstolos do Século XXI



VI - Organizações dos Apóstolos do Século XXI

{última atualização: 30/01/2017}

Vamos conhecer algumas organizações apostólicas, que atuam no Brasil ou fora: a International Coalition of Apostles, nos EUA; o Conselho Apostólico Brasileiro, e seus braços, a Coalizão Apostólica Profética Brasileira e o Projeto Transformação Brasil; e as redes apostólicas.

{Coalizão Internacional de Apóstolos - Coalizão Internacional de Líderes Apostólicos}

A International Coalition of Apostolic Leaders (ICAL), anteriormente International Coalition of Apostles (ICA), é a maior representante do movimento apostólico, com centenas de membros. Seu propósito é "conectar a sabedoria de apóstolos e recursos para que cada membro possa funcionar estrategicamente, combinando os seus esforços globalmente, e efetivamente acelerar o avanço do Reino de Deus em todas as esferas da sociedade". Como apóstolos operam de maneiras diferentes, a ICAL está aberta a apóstolos verticais, apóstolos horizontais e apóstolos de mercado. [1]

A ICA foi concebida por um grupo de apóstolos reunidos em Cingapura em 1999, convidados pelo Dr. Ed Silvoso, discutindo como Deus poderia usar os esforços combinados da liderança apostólica global para fazer avançar o Reino de Deus de forma mais rápida e eficaz. Entre os membros fundadores estavam ministros de Cingapura, Malásia, Indonésia, Austrália, Nova Zelândia, África do Sul, Grã-Bretanha, Guatemala, Brasil, Argentina, México, Canadá e EUA. [2]

Dr. John P. Kelly, convidado a ser o Apóstolo Presidente (Convening Apostle), estabeleceu um escritório em Fort-Worth/Texas, para organizar um conselho e começar a convidar apóstolos para participar da ICA. No mesmo ano Dr. Kelly, dirigido pelo Senhor, convidou Dr. C. Peter Wagner a assumir como Apóstolo Presidente da ICA. Em 2001, a ICA mudou-se para os escritórios da Global Harvest Ministries em Colorado Springs/Colorado, enquanto John Kelly continuava a trabalhar com o escritório em Dallas. A primeira reunião da coalizão aconteceu em dezembro de 2000, perto de Dallas/Texas. [3]
NOTA: Em inglês, o termo usado para o presidente da ICAL, ou para os presidentes de coalizões nacionais é Convening Apostle (Apóstolo de Convocação).

C. Peter Wagner era o Apóstolo Presidente (Convening Apostle), John P. Kelly o Apóstolo Embaixador (Ambassadorial Apostle), representando a ICA globalmente e realizando encontros regionais da ICA pelos EUA, e Chuck Pierce Voz Profética da ICA. [3][4]

Entre as centenas de apóstolos da ICA podemos citar: Dr. Chuck Pierce, Dra. Cindy Jacobs, Dr. Rony Chaves, Dra. Barbara Wentroble, Tom Hess, Dr. Bill Hamom, Dr. John Eckhardt, Dr. Ché Ahn, Dr. Sydney Stair, Dr. James Goll, Dr. Lance Wallnau, Dr. Mark Pfeifer, Dr. Mark Chironna, Dr. Hector Torres, etc.
Existiam alguns apóstolos brasileiros na ICA: Dra. Neuza Itioka e César Augusto foram os únicos no Brasil por vários anos; Dr. J. Moura Rocha, Josimar Salum e Marsole Sampaio, nos EUA, também eram membros. Em épocas diferentes, Estevam Hernandes (que foi um dos apóstolos reunidos em Cingapura) [5] e Marco Antônio Peixoto também fizeram parte da ICA. [6]

Em 2010, o site da organização, na seção Member's Map (que não existe mais), listava como membros: 247 nos EUA; 16 no Canadá; 3 no México; 2 em Porto Rico; 2 nas Bahamas; 1 na Costa Rica; 1 no Peru; 1 na Venezuela; 2 no Brasil; 5 na África do Sul; 1 no Zimbábue; 1 no Quênia; 1 em Ruanda; 1 em Gana; 6 na Nigéria; 8 no Reino Unido; 1 na Irlanda; 1 na Islândia; 3 na Espanha; 1 na França; 1 na Itália; 3 na Suíça; 2 na Alemanha; 1 na Holanda; 1 na Noruega; 1 na Grécia; 1 na Bulgária; 1 em Israel; 2 no Kuwait; 2 na Índia; 1 na China; 2 no Japão; 5 na Indonésia; 1 na Malásia; 1 nas Filipinas e 10 na Austrália. [7]

Em 2009, com a proximidade de seu 80º aniversário, o Apóstolo C. Peter Wagner é instruído pelo Senhor a pedir para John Kelly voltar a assumir como Apóstolo Presidente (Convening Apostle) da ICA. Na primavera de 2010 a ICA volta a ser sediada em Fort Worth, e em novembro do mesmo ano, na Reunião Anual da ICA, em uma cerimônia oficial, Dr. Wagner entrega o 'cajado' ao Apóstolo John P. Kelly: Wagner é instalado como Apóstolo Presidente Emérito da ICA (Presiding Apostle Emeritus) e Kelly como novo Apóstolo Presidente (Convening Apostle). [3]
Mark Pfeifer tornou-se o Embaixador Internacional da ICA, servindo como Coordenador para as Coalizões Nacionais, Joseph Mattera, Embaixador da ICA para os EUA, e vários outros membros foram escolhidos Embaixadores para diversas nações.

No começo de 2011, os membros do Conselho Apostólico da ICA eram: C. Peter Wagner e Doris Wagner (EUA, Global Spheres Inc.), John P. Kelly (EUA, Leadership Education for Apostolic Development), Chuck Pierce (EUA, Global Spheres Inc.), Naomi Dowdy (EUA/Cingapura, Naomi Dowdy Ministries), Ed Silvoso (EUA, Harvest Evangelism), Dennis Peacocke (EUA, Strategic Christian Services), Bill Hamon (EUA, Christian International Ministries Network), Joseph Mattera (EUA, Christ Covenant Coalition), Ron Cottle (EUA, Ron Cottle Ministries), James Chosa (EUA, Day Chief Ministries), Dan Juster (EUA/Israel, Tikkun International), Pat Francis (Canadá, Kingdom Covenant Ministries), George Bakalov (EUA/Bulgaria, George Bakalov Ministries), John Eckhardt (EUA, IMPACT Network), H. Daniel Wilson (EUA, Valley Kingdom Ministries International), Mark J. Chironna (EUA, Church On The Living Edge), Mel Mullen (Canadá, Word of Life Centre Church), Mark Pfeifer (EUA, Soma Family of Ministries), Lance Wallnau (EUA, Lance Learning Group) e John Macknamara (Austrália, Parkway Apostolic Network).

Em 9 de novembro de 2011, Renê Terra Nova é recebido como membro da ICA e nomeado Apóstolo Embaixador para o Brasil e América do Sul. Fernando Guillen foi recebido como membro em 2013 e depois escolhido como Facilitador para a América Latina.


Em novembro de 2013, no fim do encontro anual da ICA em Dallas, o Convening Apostle, John P. Kelly, anuncia a mudança do nome do movimento para International Coalition of Apostolic Leaders (ICAL). [3]

Atualmente, os membros do Conselho Apostólico da ICAL, apontado pelo Dr. John P. Kelly, são: Joseph Adefarasin (Nigéria, Guiding Light Assembly), Mark Chironna, James Chosa, Ron Cottle, Naomi Dowdy, Paul Gitwaza (Ruanda, Zion Temple Celebration Center), Bill Hamon, Dan Juster, John P. Kelly, Joseph Matera, John Macknamara, Mel Mullen, Dennis Peacocke, Mark Pfeifer, Renê Terra Nova (Brasil, Ministério Internacional da Restauração), Jan-Aage Torp (Noruega, Restoration Oslokirken), C. Peter Wagner, Doris Wagner, Lance Wallnau e H. Daniel Wilson.

Em 19 de julho de 2014, a seção Member’s Map do site da ICAL listava como membros: 161 nos EUA; 41 no Canadá; 3 no México; 1 em Belize; 1 em Honduras; 1 nas Bahamas; 13 em Porto Rico; 1 no Equador; 9 no Brasil; 20 na Bolívia; 3 no Chile; 2 na Argentina; 1 na Serra Leoa; 1 em Gana; 1 em Benin; 25 na Nigéria; 1 na Angola; 1 em Uganda; 1 em Quênia; 2 no Malawi; 5 na África do Sul; 1 em Portugal; 2 na Espanha; 22 na França; 11 na Itália; 1 na Grécia; 15 na Suíça; 16 na Áustria; 20 na Alemanha; 13 na Bélgica; 22 nos Países Baixos; 2 na Polônia; 7 na Dinamarca; 6 na Islândia; 6 no Reino Unido; 7 na Noruega; 2 na Suécia; 3 em Israel; 1 no Butão; 2 no Japão; 1 em Cingapura; 1 na Indonésia; e 29 na Austrália. [7]

A adesão só é possível após convite oficial do Apóstolo Convocador, e isso após dois membros ativos fazerem e apoiarem a nomeação. A adesão vem principalmente por ser um membro ativo da própria Coalizão Nacional. A ICAL pretende ter uma Coalizão Nacional em todas as nações da Terra, e a adesão a estas Coalizões Nacionais automaticamente dá a adesão à Coalizão Internacional.
Onde não há uma coalizão nacional, os membros são convidados a se juntarem à sua Coalizão Continental (como é o caso na Europa) ou à Coalizão Internacional, dependendo da sua geografia e da presença da ICAL em sua região. Esses membros são encorajados a trabalhar em sua nação para ajudar a desenvolver uma Coalizão Nacional própria.
A participação na ICAL é individual, não como um casal. Apenas se os dois são reconhecidos como líderes apostólicos, é possível um convite separado. [8]

Assim, impulsionadas pela ICAL, coalizões apostólicas nacionais têm nascido em vários países. A ICAL está representada em 65 nações, com um Convocador Nacional ou um Embaixador comissionado pela ICAL para representar uma nação ou região. [9]
Foram iniciadas coalizões, com convocadores nacionais, em Alemanha (Markus Rapp), Aruba (Lisette Malmberg), Austrália (já existia, John e Alaine McElroy), Bahamas (Ros Davis), Bolívia (Alberto Magno Oliveira), Brasil (Renê Terra Nova), Canadá (já existia, George Johnson), EUA (Joseph Mattera e Dale Bronner), Guatemala (Cash Luna), Índia (Prasad Rao e Kala Roa), Libéria (Garreston Saydee), México (Carlos Gordillo Melendez), Nicarágua (Roberto Sarria), Nigéria (Joseph Adefarasin), Quênia (Joe Kayo), Panamá (Daniel Muñoz), Peru (Pedro Hornung), Porto Rico (Mickey Medina), Ruanda (Paul Gitwaza). Além de convocadores para Europa (Jan-Aage Torp), Nações Africanas (Joseph Adefarasin), Ásia-Pacífico (John Macknamara) e nações de língua espanhola na América Latina (Fernando Guillen). Coalizões em dezenas de países estão em processo de formação, com o trabalho dos apóstolos embaixadores: África do Sul, Angola, Caribe e América Latina, Cingapura, Chile, Colômbia, Costa Rica, Croácia, Equador, Escócia, Espanha, Etiópia, França, Gana, Haiti, Honduras, Ilhas Salomão, Indonésia, Israel, Malásia, Nativo Americanos, Papua Nova Guiné, Portugal, República Dominicana, Togo, Trinidad e Tobago, Ucrânia, Uganda, Zâmbia e Zimbábue. [10] Em 29 e 30 de julho de 2014, em São Paulo/SP, foi lançada a Coalizão Brasileira de Líderes Apostólicos (COBLAP).

"Apostolicamente liderada e profeticamente influenciada", atualmente, a ICAL e todas as coalizões nacionais seguem a Visão 4R, criado pelo Dr. Joseph Mattera: Restauração da Igreja à missão e ao método do caminho de Jesus e dos apóstolos; Reconciliação entre líderes étnicos e igrejas; Reavivamento da igreja para expandir a influência do Reino; e Reforma da sociedade e discipulado das nações. [11]

"Deve ser entendido que a adesão à ICAL não confere ordenação ou comissionamento de um apóstolo. A ICAL não "faz" de um indivíduo um apóstolo. Somente aqueles que foram previamente reconhecidos como tendo o dom e o ofício de apóstolo são aceitos como membros, e esse reconhecimento vem através de e é mantida pela rede eclesiástica particular ou ministério apostólico que confere a ordenação ou comissionamento. [12]
Por ser uma rede apostólica horizontal, a ICAL não fornece "cobertura apostólica" ou "cobertura espiritual" para seus membros. Embora a ICAL não seja uma estrutura primária de prestação de contas, a participação na ICAL implica uma responsabilidade secundária apostólica. odo membro da ICAL é responsável, no sentido amplo da palavra, por todos os outros membros. Quando a repreensão vem sobre um, potencialmente essa repreensão pode vir sobre todos." [13]
"A ICAL não deve ser considerada a principal agente de prestação de contas para qualquer um dos seus membros. Incentivamos nossos membros a estabelecerem esses tipos de relacionamento com outros indivíduos e/ou organizações que possam fornecer adequadamente o tipo de cobertura verdadeira e responsabilidade que todos os líderes precisam em um nível pessoal."

"A ICAL não deve ser considerada a palavra ou revelação "perfeita" ou "total" sobre o tema do apostólico ou do movimento apostólico. ICAL encoraja os indivíduos a procurar outras fontes de informação e não confiar na ICAL como fonte completa de informação apostólica. [8]"

Site: http://www.icaleaders.com/
Página: https://www.facebook.com/ICALeaders

{Conselho Apostólico Brasileiro}

O Conselho Apostólico Brasileiro foi organizado em 7 de março de 2005, no Hotel Pestana em São Paulo/SP, quando se reuniram cerca de quarenta e cinco apóstolos e profetas que contavam com um reconhecimento nacional, “com o objetivo de trazer direção e zelo pela sã doutrina, bem como uma cobertura apostólica e de paternidade sobre os ministérios apostólicos da nação, e ainda contribuir com o programa de Transformação Brasil”. [14][15][16]

O Conselho Apostólico Brasileiro foi formado com quinze apóstolos. Em conversa com a Apóstola Valnice Milhomens, ela disse: No momento, sim. 15 pessoas. Mas não é uma organização. Não tem presidente, nem diretoria, nem CNPJ. Apenas um grupo de colegas preocupados com a redenção da nação, que se une para alguns projetos. [17]

Seus membros originais foram: Apóstolo Alexandre Nunes (SP, Igreja Apostólica Ágape), Apóstolo Arles Marques (SP, Comunhão Cristã Igreja Apostólica e da Rede Apostólica de Ministérios Cristãos), Apóstolo Dawidh Alves (SP, Ministério Tabernáculos e da Igreja Apostólica da Adoração), Apóstolo Ebenézer Nunes (PE, Igreja Apostólica Batista Viva), Apóstolo Francisco Nicolau (SP, Igreja Batista das Nações e da Rede Brasileira de Ministérios Cristãos), Apóstolo Hudson Medeiros (DF, Centro Missionário O Renovo e Rede Brasileira de Intercessão, Oração e Jejum), Apóstolo Jesher Cardoso (SP, Missão Shekinah), Apóstolo Luiz Scultori Jr (RJ, Ministério Apostólico Terra Santa),Apóstolo Márcio Valadão (MG, Igreja Batista da Lagoinha), Apóstolo Mike Shea (PR, Ministério Casa de Davi), Apóstola Neuza Itioka (SP, Ministério Ágape Reconciliação), Apóstolo Paulo de Tarso (SP, Igreja Apostólica Betlehem), Apóstolo Paulo Tércio (SP, Igreja Apostólica Novidade de Vida), Apóstolo Sinomar Fernandes (GO, Ministério Luz para os Povos), e Apóstola Valnice Milhomens (DF, Igreja Nacional do Senhor Jesus Cristo). [18]
Em 20 de agosto de 2013, durante encontro do CAB em Belo Horizonte, foram recebidos dois novos membros no Conselho: Apóstolo Joaquim José da Silva Júnior (Igreja Batista de Campo dos Afonsos) e Apóstolo Rinaldo Seixas (Bola de Neve Church). [19]
Devido a impossibilidade de participarem ativamente, Márcio Valadão e Alexandre Nunes deixaram o CAB em 2015. O Conselho voltou então a ter quinze membros. [20]


O Conselho Apostólico Brasileiro serve como uma Voz Profética e Apostólica e uma Cobertura para a Igreja de Cristo em nossa nação, para que fluam os Ministérios do Cordeiro, a fim de que o Deus Altíssimo seja o Cabeça de todas as coisas no Brasil. [14] Apesar de ser um colegiado representativo do Movimento de Restauração Apostólica e Profética no Brasil, com milhares de líderes e igrejas sob sua cobertura, não representa todas as igrejas com apóstolos no Brasil. Entre suas ações, o CAB realiza Escolas de Ministérios, "para fortalecer, corrigir distorções, e engajar ministros e ministérios em toda a nação, na restauração dos ministérios do Cordeiro", a Coalizão Apostólica Profética, o Transformação Brasil e as Conferências Proféticas. [21]

Site: http://www.conselhoapostolico.com.br/index.php
Página: https://www.facebook.com/conselhoapostolico/

{Coalizão Apostólica Profética Brasileira}

A Coalizão Apostólica Profética Brasileira (CAPB) foi organizada em maio de 2006, em Brasília, na Conferência Líder que Transforma, “gerando um vínculo nacional entre esses ministérios para auxiliar no trabalho de Transformação da Nação”. [15]

A CAPB tem o objetivo de unir as redes ministeriais e ministros dos cinco ministérios do Cordeiro, em todo o território nacional, que possuam um reconhecimento de suas próprias igrejas, e que estejam debaixo de autoridade espiritual, gerando unidade e força para desafios que são nacionais, num país continental, com características tão distintas em diversas regiões, que são vistas como dádivas de Deus à Igreja Brasileira que tem promessas e por isso responsabilidades com esta geração e com as próximas [22].

Em seu estatuto, a CAPB reconhece:
* O Sumo Apóstolo de Deus Pai – Jesus Cristo.
* Os Doze Apóstolos do Cordeiro – nomeados por Jesus Cristo – responsáveis por trazer a Revelação Escrita.
* Os Apóstolos do Espírito Santo, dados à igreja desde então, são os que atuam para interpretar a Revelação, ministério perdido ao longo da história e que hoje se levanta para restaurar a estrutura original de governo e as verdades perdidas.
[23]

"Embora houvessem 12 Tribos em Israel, provenientes dos 12 Patriarcas, filhos de Jacó, sempre que eram chamados, cada um com seus estandartes, com as características próprias de cada tribo, elas se juntavam para um bem maior, e para um desafio maior que era agir e ser como uma Nação. Assim, entendemos o desafio da Coalizão Apostólica Profética Brasileira, que é valorizar a pluralidade de dons, chamados, características próprias de cada ministro e ministério, de cada rede ministerial, convenção ou denominação, e unir este precioso tesouro da multiforme sabedoria de Deus, para manifestar a Cristo nesta nação e aonde mais o Todo Poderoso requerer algo de nós, a Igreja de Cristo no Brasil." [22]

{Projeto Transformação Brasil}

O Projeto Transformação Brasil é um dos braços do Conselho Apostólico Brasileiro que mais tem gerado esforço e dedicação de seus membros é o sonho de ver o Brasil transformado e os princípios de Deus sendo usados para que a conduta de nossa sociedade possa ser regida em seus padrões morais, éticos, de relacionamento, profissionais e comerciais, pela Palavra de Deus. [24]
Iniciado como RESGATE (Renovação Espiritual – Salvação - Guerra espiritual – Adoração – Transformação - Ensino), a Associação Transformação Brasil é presidida pela Apóstola Neuza Itioka, e recebe total apoio e participação do Conselho Apostólico Brasileiro e da Coalizão Apostólica Profética Brasileira. Entre os outros diretores do Projeto, estão os apóstolos Arles Marques, Valnice Milhomens, Paulo Tércio, Francisco Nicolau, Paulo de Tarso, Gláucio Coraiola e Dawidh Alves. [25]
Quatro áreas de interesse especial, foram apontadas pelo Espírito Santo e tornaram-se focos da busca e olhar acurado do Transformação Brasil: Intercessão (Oração); Adoração; Compaixão e Colheita. [24]

O Projeto Transformação Brasil teve início através da iniciativa dos apóstolos Neuza Itioka, Ronaldo Moreira Faria e Harold Caballeros, em 2001 com uma série de conferências anuais chamadas de Conferências Proféticas, em cinco importantes capitais brasileiras. A primeira Conferência Profética foi em novembro de 2001 na Igreja Batista da Lagoinha, durante a qual Renê Terra Nova e Márcio Valadão foram reconhecidos apóstolos. Depois, em Goiânia (2002), foi escrita uma Carta de Intenções, para direcionar os próximos passos pela transformação do Brasil, que foi abraçada por milhares de líderes, gerando unidade na visão e nas ações. Em seguida, vieram São Paulo (2003), Recife (2004) e a última em Porto Alegre (2005).
A cada ano o número de líderes e ministérios envolvidos com o Transformação Brasil crescia. Foram feitas alianças com ministérios internacionais. Peter Wagner, George Otis Jr., Chuck Pierce e Rony Chaves são alguns dos que apoiaram o desenvolvimento da visão. [26]

A rede mundial Transform World, é liderado por um grupo de pastores de vários países. O facilitador internacional que tem gerenciado o movimento é Luis Bush, líder do movimento de conscientização e envio de missionários para a janela 10x40.
O primeiro evento Transform World ocorreu na Indonésia em 2005, reunindo líderes cristãos de todo o mundo. Em 2006, aconteceu na Índia, e em 2007 na Coreia do Sul.
De 12 a 15 de novembro de 2008, o Transform World aconteceu no Brasil, na Igreja Cristã de Alphaville (liderada pelo Ap. Miguel Thomaz), com a preleção de Hudson Teixeira, Maurício Marques, Francisco Nicolau, Ana Paula Valadão Bessa, Lamartine Posella, Arles Marques, Otávio Camacho, Adriana Pinheiro, Paulo de Tarso, Alberto Pires, Neuza Itioka, Dawidh Alves e Paulo Tércio. [26]

Em abril de 2011, o Conselho Apostólico Brasileiro e a Coalizão Apostólica Profética Brasileira voltaram a realizar a Conferência Profética, desta vez em São Paulo. [16] A sétima foi realizada em Fortaleza em abril de 2012, a oitava em Curitiba em março de 2013 e a nona no Rio de Janeiro em abril de 2014.

{Redes Apostólicas}

As Redes Apostólicas são importantes organizações apostólicas. Eles interligam não apenas apóstolos, mas também outros líderes nos cinco ministérios e igrejas em geral. Rony Chaves diz que uma rede apostólica "é essencialmente uma cadeia de igrejas autônomas e ministros individuais que voluntariamente unem-se em uma estrutura organizada que segue o padrão bíblico". [27]
As redes apostólicas são vistas como alternativas às denominações e ministérios independentes, sem seus problemas, mas com seus benefícios. "As redes apostólicas diferem das denominações porque estas últimas baseiam suas relações na força e tem um grande controle legal e financeiro. Nas redes o relacionamento é voluntário, por reconhecimento de autoridade e com um mínimo de controle jurídico e financeiro." [27]
Estar em uma rede apostólica, que é dirigida por um apóstolo ou uma equipe apostólica, implica reconhecer e receber a cobertura espiritual/paternidade espiritual deles: "todos que ocupem posição de autoridade, estes mesmos devem estar sujeitos à autoridade, para prestarem contas de seus atos e decisões a “alguém”, que lhes garantiria cobertura, segurança, e conforto no trabalho cotidiano no Reino". [28]
Uma rede apostólica tem, pelo menos, um apóstolo como líder, mas busca crescer até alcançar uma equipe apostólica, que “originará uma enorme rede ministerial”. Espelha-se assim em Jesus e seus discípulos e no livro de Atos, “onde sempre nos apresentou uma equipe apostólica. Os apóstolos nunca trabalharam sozinhos, eles fizeram isso como uma equipe.” O trabalho em equipe é a base das redes apostólicas. [27]
Elementos básicos de uma rede apostólica

1 – Um reconhecido Apóstolo ou Equipe Apostólica está na sua liderança.
2 – Tem uma missão e um propósito claro.
3 – Tem uma "atmosfera" de relações dinâmicas.
4 – Possui e fornece uma reunião ou colheita (produto da rede) de igrejas apostólicas. [27]

Existem redes apostólicas por todo o mundo. Como redes estrangeiras, cito a Harvest International Ministry (Ap. Ché Ann), Christian International Apostolic Network (Ap. Bill Hamon), IMPACT Network (Ap. John Eckhardt), Red Apostólica de Ministérios Cristianos Unidos (Ap. Rony Chaves), Apostolic Network of Global Awakening Internacional (Ap. Randy Clark), Gracia International (Ap. Dario Parish), Global Spheres Inc. (Ap. Chuck Pierce), entre muitas outras.

Desde o começo do século, diversas Redes Apostólicas foram fundadas no Brasil. Entre as muitas que existem hoje, podemos citar:
Rede Apostólica de Ministérios Cristãos (RAMC) – presidida pelo Apóstolo Arles Marques, e com os apóstolos Neuza Itioka, Alberto Pires, Gerson Bueno, Otávio Camacho, Paulo de Tarso, Ricardo Mariano e o profeta Guillermo Lossio como diretores (1º ícone do logo à esquerda);
Rede Apostólica Cristã – presidida pelo Apóstolo Ricardo Wagner (3º ícone do logo à esquerda);
Rede Apostólica da Aliança (RAA) – presidida pelo Apóstolo Jesher Cardoso, e com os apóstolos Francisco Morilha, Reinaldo Ubirajara de Moraes, Luiz Carlos Olivetti e Josué Pereira dos Santos como diretores (2º ícone do logo à esquerda);
• Rede Apostólica de Ministérios Adoradores (RAMA) – presidida pelo Apóstolo Dawidh Alves;
• Rede Brasileira de Ministérios Cristãos (REBRAMIC) – presidida pelo Apóstolo Francisco Nicolau;
Rede Apostólica Servo da Orelha Furada – presidida pelos Apóstolos Gláucio e Marili Coraiola (5º ícone do logo à esquerda);
• Rede Apostólica Ministerial Siloé (RAMIS) – presidida pelo Apóstolo João Staub;
Grace Brasil – braço brasileiro da Gracia Internacional do Apóstolo Dario Parish, presidida pelo Apóstolo Rubens de Mattos Antônio (4º ícone do logo à esquerda);
Rede Águias e Leões (REAL) – coordenada pelos apóstolos Maurício Marques, Alexandre Nunes, Joseir Garrido e Sandro Valentim (6º ícone do logo à esquerda);
• Coalizão das Igrejas Apostólicas (CIA) – presidida pelo Apóstolo Willy Garcia;
Rede Apostólica Global Awakening International (RAGAI) - braço brasileiro da Apostolic Network of Global Awakening do Apóstolo Randy Clark, e dirigida no Brasil pelo Pr. Ed Rocha (8º ícone do logo à esquerda);
Confederação de Igrejas Evangélicas Apostólicas do Brasil (CIEAB) - presidida pelo Apóstolo Estevam Hernandes;
• Rede Apostólica Profética Conquistadores do Reino – presidida pelo Apóstolo Paulo Ventura;
• Rede Global Christian International Brasil – braço brasileiro da Christian International Apostolic Network do Apóstolo Bill Hamon, e dirigida pelo Apóstolo Alberto Pires (7º ícone do logo à esquerda);
• Rede Apostólica de Paternidade Ministerial (RAPM) – presidida pelo Apóstolo Jelson Becker;
Rede Apostólica de São Paulo (RASP) – presidida pelo Apóstolo Alfredo Cardoso (10º ícone do logo à esquerda);
• Rede de Líderes da Restauração (RLR) – presidida pelo Apóstolo Jorge Luiz Cunha;
• Rede Aliança da Restauração Apostólica (RARA) – presidida pelo Apóstolo Sandro Ferreira (9º ícone do logo à esquerda);
• Rede de Intercessão Profética e Cobertura Apostólica (RICA) – presidida pelo Apóstolo Célio Antônio Francisco;
• Rede Aliança Apostólica Brasileira (ABA) – presidida pelo Apóstolo Almir Santana;
Vinha Ministérios – presidida pelos Pastores Aluízio Silva e Marcelo Almeida;
MEVAM Plataforma Apostólica – presidida pelo Apóstolo Luiz Hermínio;
• Rede Cristã Nacional Kavod – presidida pelo Apóstolo César Augusto Marques;
• Aliança Mundial Apostólica de Restauração (Rede AMAR) – presidida pelo Apóstolo Valdomiro Souto Ferreira;
• Convenção Mundial de Igrejas Apostólicas (CONVEM) – presidida pelo Apóstolo Luiz Carlos de Souza;
• Rede Apostólica da Restauração – presidida pelo Apóstolo Enéas Ribeiro dos Santos;
• Rede Apostólica Reviver – presidida pelo Apóstolo Edson Meneghetti;
• Rede Apostólica de Igrejas – presidida pelo Apóstolo Endy Pessanha;
• Rede Apostólica Internacional Adonai – presidida internacionalmente pelo Apóstolo Romulo H. Campos, e no Brasil representada pelo Apóstolo Cássio André Gianezzi.

A Rede Apostólica da Aliança diz [29]:
A Rede não é, nem será uma denominação, por isso o seu caráter é de COBERTURA ESPIRITUAL, sobre ministérios independentes. Esta cobertura e atuação estarão visando os cinco ministérios conforme Efésios 4.11, ou seja, apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e mestres.
O apoio que será prestado acontecerá somente quando o próprio ministério associado solicitar.

A Rede Apostólica de Ministérios Cristãos diz [28]:
As Redes Apostólicas nasceram com a restauração desse importante ofício ministerial (o de apóstolo), intimamente ligado a governo da Igreja, pode-se conceber um organismo que propicie a necessária cobertura espiritual, a amizade, a confiança, o respeito a “alguém”, cujo caminhar com Cristo pode servir de exemplo, pode ser inspirador, pode ser sentido como paternal!

Mas, mais importante do que tudo isso, não exige que se abra mão da visão dada por Deus e da individualidade de cada membro da Rede que foi com a mesma autenticidade estabelecido por Deus para cumprir um propósito eterno no lugar onde foi plantado. Tal organismo gera o que poderíamos chamar de cobertura “horizontal”, pois não pretende trazer para debaixo de si mesmo, o que Deus ordenou que se espalhasse pelo mundo e revelasse Sua multiforme graça e sabedoria, Sua Igreja!

O Apóstolo Ricardo Wagner, da Rede Apostólica Cristã, explica:
Uma Rede Apostólica é um conjunto de igrejas e ministérios que se unem debaixo da liderança apostólica com a finalidade de se fortalecer, crescer e multiplicar pela potencialização de suas forças. [30]

Numa Rede Apostólica as organizações são tanto independentes, pois são autônomas em sua natureza, como também são dependentes, uma vez que estão recebendo visão e transferência de unção como também apoio da equipe apostólica e dos outros participantes da Rede compartilhando seus dons, talentos e habilidades com os outros participantes. Assim, a relação na Rede não é de completa dependência e nem de completa independência, mas de uma interdependência, onde todos participantes são autônomos e ao mesmo tempo, participando da Rede, se relacionam com as organizações coirmãs, crescem em função das necessidades e competências compartilhadas. [31]

A vinculação a Rede Apostólica não está alicerçada em sistemas formais de vinculação, mas em relacionamentos de amor. Assim, uma igreja ou ministério que se une a Rede Apostólica não apenas tem aquilo que de bom uma denominação pode lhe oferecer - uma estrutura e metodologia de trabalho - mas também tem a liberdade para criatividade, revelação e atuação que possuem as igrejas autônomas. Desta forma podem desfrutar das vantagens das denominações e das igrejas autônomas sem necessariamente ter que carregar o ônus das desvantagens destes sistemas. [32]

Um ministério apostólico nunca anda sozinho, mas em equipe, para que todas as necessidades das comunidades e organizações pertencentes àquela rede sejam supridas através dos diversos dons de cada membro da equipe apostólica. Assim uma comunidade que pertence a Rede Apostólica Cristã terá a sua disposição vários ministérios especializados de acordo com sua necessidade para o desenvolvimento de suas atividades e programas. [33]

Já a CIEAB, se define como [34]:
Nasceu no coração do apóstolo Estevam Hernandes com o propósito de dar cobertura espiritual e ser um agente curador e disciplinar para que o Corpo de Cristo cresça de forma sadia e abençoada, atendendo, assim, a inúmeras Igrejas que têm caminhado de forma isolada, sem o amparo necessário para o seu desenvolvimento.

A CIEAB é um novo conceito de órgão representativo, pois está baseada no fundamento apostólico da Igreja de Cristo e vem agregar, em comunhão e edificação, igrejas de diferentes denominações, porém com o mesmo chamado de Deus.

Referências
[1] – About. International Coalition of Apostolic Leaders.
[2] – It started in Singapore!. European Apostolic Leaders.
[3] – History. International Coalition of Apostolic Leaders.
[4] – About us. Global Apostolic Network.
[5] – Apesar do que sua biografia mostrava por anos, Estevam não era o “único apóstolo brasileiro membro do Conselho Internacional de Apóstolos”. Primeiro, porque, mesmo sendo membro fundador, ele não era mais membro da ICA, e segundo, porque havia outros brasileiros na ICA. A não ser que esse Conselho em sua biografia seja outro. Vale lembrar que ele ainda afirma isso.
[6] – Em uma lista de membros da ICA de [março de 2001, Estevam e Cesar Augusto são relacionados. Em lista de 2006, Salum, Moura são relacionados nos EUA, infelizmente a parte do Brasil não estava disponível. Na lista de junho de 2007, novamente Salum e Moura, e a única que tenho que possui Neuza Itioka, Marco Peixoto e César Sousa no Brasil. Em lista de setembro de 2009, novembro de 2009 e janeiro de 2010, além de Salum e Moura, apenas Neuza é mencionada no Brasil, e nas últimas, Marsole Sampaio já aparece.
[7] – Infelizmente, em algum momento de 2015, a seção foi retirada do site, como a lista de membros já fora no começo de 2011.
[8] – Membership. International Coalition of Apostolic Leaders.
[9] – Nations. International Coalition of Apostolic Leaders.
[10] – Contact. International Coalition of Apostolic Leaders.
[11] – 4R Vision Statement. International Coalition of Apostolic Leaders.
[12] – Mission Structure. International Coalition of Apostolic Leaders.
[13] – Policies. International Coalition of Apostolic Leaders.
[14] – Conselho. Conselho Apostólico Brasileiro.
[15] - O Alvorecer do Movimento Apostólico e Profético. Rede Apostólica de Ministérios Cristãos.
[16] – A História de Deus no Brasil. Conselho Apostólico Brasileiro
[17] – Email privado em 2010.
[18] – Informação primeiramente obtida com o Ap. Paulo de Tarso Fernandes em 2010, por email.
[19] – Ampliação do Conselho Apostólico Brasileiro. Conselho Apostólico Brasileiro.
[20] – Mensagem direta com Ap. Dawidh Alves em 2016.
[21] – Ações. Conselho Apostólico Brasileiro.
[22] – Coalizão. Conselho Apostólico Brasileiro.
[23] – O texto original, que usei em 2010, não está mais disponível na internet. A versão encontrada parece ser a mesma, mas sem autor. Mas, era do Ap. Francisco Nicolau.
[24] – Transformação Brasil. Conselho Apostólico Brasileiro
[25] – Email privado com Dra. Neuza Itioka em 2012.
[26] – Transformação Mundial. Rede Apostólica de Ministérios Cristãos.
[27] – CHAVES, Rony. ¿Qué es una red apostólica? In: Apuntes sobre el Ministerio Apostólico. S/d. p. 40,41. Tradução minha.
[28] – Redes Apostólicas. Rede Apostólica de Ministérios Cristãos.
[29] – Quero me afiliar. Rede Apostólica da Aliança.
[30] – O que é uma Rede Apostólica?. Rede Apostólica Cristã. 2004
[31] – Qual a diferença entre uma denominação, igrejas independentes e uma rede apostólica?. Rede Apostólica Cristã.
[32] – Quais as vantagens de unir-se a Rede Apostólica?. Rede Apostólica Cristã.
[33] – Como funciona a cobertura através da Rede Apostólica Cristã?. Rede Apostólica Cristã. 2004
[34] – Quem somos. Confederação de Igrejas Evangélicas Apostólicas do Brasil.


Veja fotos das organizações apostólicas, seus líderes e membros, em Fotos Apostólicas 1, Fotos Apostólicas 2, Fotos Apostólicas 3, Fotos Apostólicas 4, Fotos Apostólicas 5 e Fotos Apostólicas 6.

<< V - Antecedentes Apostólicos
>> VII - Apóstolos no Exterior Parte 1