Pesquisar

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Você conhece a Bíblia? - Autores do Novo Testamento


O Novo Testamento teve menos de 10 escritores: 9 ou 8 escritores. Neste artigo vamos conhecê-los.



1) O escritor do primeiro Evangelho foi Mateus (que significa dádiva de Jeová), também chamado Levi, era filho de Alfeu, e um dos Doze Apóstolos (Mt 10.3). Levi era publicano, cobrador de impostos a serviço de Roma (o que nos faz entender que ele era rico), mas deixou o cargo (Mt 9.9-13), conhecido pela avareza e desonestidade, para seguir o Filho de Davi. Antes de se tornar um dos Doze, Mateus oferece um banquete a Jesus (Lc 5.27-32). O texto em Mateus do banquete fala “em casa” (9.10), e Mc 2.15 (passagem paralela) conta que é a casa de Levi.
A tradição diz que, nos quinze anos após a ressurreição de Jesus, ele pregou em vários países, conhecendo o martírio na Etiópia.

2) O nome Marcos é na verdade um sobrenome, de um homem cujo primeiro nome era João (At 12.12; 13.5; II Tm 4.11). Marcos era sobrinho ou primo de Barnabé e um cooperador que viajou com Paulo e Barnabé em sua primeira viagem missionária (At 12.25), mas escolheu abandoná-los (At 13.13). Por esta razão, Paulo não quis levá-lo junto na segunda viagem missionária (At 15.36-39). Isso levou a tamanha disputa entre os apóstolos Paulo e Barnabé que os dois decidiram ministrar em direções diferentes. Barnabé foi com o parente para Chipre (At 15.39). Anos mais tarde ele está acompanhando Paulo (Cl 4.10; Fm 24). Antes de ser executado Paulo manda chamar João Marcos (II Tm 4.11) para seguir anunciando o Evangelho.
A mãe de Marcos, Maria, era uma mulher de posses, e os irmãos se reuniam em sua casa (At 12.12). A tradição sugere que o cenáculo da Ceia do Senhor era na casa de Marcos. E também costuma-se identificar o jovem que correu nu (presente apenas em seu Evangelho) como sendo o próprio Marcos (Mc 14.51-52).
Pedro teve participação decisiva na evangelização e no discipulado de Marcos, e ambos desenvolveram laços de profunda amizade e respeito mútuo. O apóstolo chama-o de "meu filho" (I Pe 5.13).
O mais antigo testemunho da autoria de Marcos tem origem em Papias, bispo da Igreja de Hierápolis (cerca de 135-140 d.C.), testemunho preservado na História Eclesiástica de Eusébio de Cesaréia.
A tradição diz que após o martírio dos dois apóstolos, ele foi evangelizar em Alexandria, sendo considerado o primeiro bispo de Alexandria, onde foi martirizado ao ter seu corpo arrastado por uma parelha de cavalos.

3) Lucas, escritor do Evangelho segundo Lucas e de Atos dos Apóstolos, cuidadosamente coletou e relacionou os fatos, organizando depois seu material em ordem cronológica. Chamado de “o médico amado” pelo apóstolo Paulo (Cl 4.14), de quem era cooperador (Fm 24), Lucas, o historiador, dedicou suas obras a seu amigo Teófilo (Lc 1.1-4; At 1.1-3).
Lucas acompanhou Paulo a partir de Trôade (At 16.10) na segunda viagem missionária do apóstolo, mas permaneceu em Filipos. Quando Paulo, dirigindo-se a Jerusalém visitou Filipos, Lucas juntou-se novamente com ele (At 20.5). Se Lucas era aquele ‘irmão’, de que se fala em II Co 8.18, o intervalo devia ter sido preenchido com o ativo ministério. Lucas acompanhou Paulo a Jerusalém (At 21.18) e com ele fez viagem para Roma (At 21.1). E nesta cidade esteve com o apóstolo durante a sua primeira prisão - e achava-se aí também durante o segundo encarceramento, era o único que estava com Paulo perto de sua execução (II Tm 4.11).
Talvez era sírio, nascido em Antioquia. Ele não foi testemunha ocular dos acontecimentos que narra no Evangelho (Lc 1.2), tendo seu trabalho beneficiado pela obra de outros e consultado testemunhas oculares. É o único autor gentio do Novo Testamento. Alguns acham que era dos Setenta (mais uma vez uma simples declaração, sem provas).
Uma tradição apresenta-o pregando o Evangelho no sul da Europa, encontrando na Grécia a morte como mártir: foi pendurado de uma oliveira pelos sacerdotes da Grécia.

4) João, um dos Doze Apóstolos, era filho de Zebedeu (Mt 4.21) e irmão do Apóstolo Tiago. Parece que o nome da mãe de João era Salomé (Mt 27:56. Mc 15:40). Pertencia ao círculo íntimo de seguidores de Jesus (Mt 17.1).
João era pescador. Ele trabalhava junto com seu irmão e seu pai. Eles tinham empregados no seu serviço e um barco de pescar. Moravam em Cafarnaum perto do Mar da Galiléia onde pescava (Mc 1.16-21). Também era conhecido do sumo sacerdote em Jerusalém (Jo 18.15-16). Depois da ascensão do Senhor, João continuou em Jerusalém durante alguns anos (At 1.14, 3.1, 4.13 e 8.14). Durante este tempo que ficou em Jerusalém, parece que ficou cuidando da mãe de Jesus na sua própria casa.
O apelido dele era Boanerges que significa filho do trovão, que Jesus deu a ele e Tiago (Mc 3.17). João era homem de um temperamento forte, duro, valente e severo (Lc 9.49-54). Os dois tinham o mesmo temperamento bravo.
João era discípulo de João Batista primeiramente (Jo 1.35-40). João Batista guiou André e João, dois dos seus discípulos, para seguir Jesus, e eles foram segui-Lo, e ele se tornou um dos discípulos mais perto de Jesus. Apesar do nome de João jamais ser mencionado no Evangelho de João, presume-se que ele se refere a si mesmo quando fala do discípulo “a quem Jesus amava”. Ele era o mais jovem dos Doze.
É o único dos apóstolos que se pensa ter morrido de morte natural em idade avançada. Ele era o líder da Igreja na região da cidade de Éfeso. Foi exilado durante a perseguição de Domiciano, na ilha de Patmos. Foi ali,que escreveu a Revelação. Uma tradição latina muito antiga informa que ele escapou sem se queimar, depois de ter sido jogado num caldeirão de óleo fervente em Roma.
Autor do Evangelho segundo o Apóstolo João, da 3 Epístolas Universais (Gerais ou Católicas) do Apóstolo João e do Apocalipse de João.

5) Saulo de Tarso, mais conhecido por Paulo, nasceu em Tarso, na Cilícia (At 22.3), sendo da tribo de Benjamim (Fp 3.5). Aprendeu a fazer tendas (At 18.3) e estudou com o rabino Gamaliel (At 22.3). Era fariseu (Fp 3.5), e se tornou perseguidor dos cristãos (At 8.1-3, Fp 3.6), encontrou o Cristo ressurreto no caminho de Damasco (At 9.1-8), e recebeu o Espírito e na rua Direita. A Igreja de Antioquia foi instruída pelo Espírito a enviar Paulo ao trabalho (At 13.1-3) e levou o Evangelho aos gentios (Gl 2.7-10). Falou em nome da Igreja de Antioquia no concílio de Jerusalém (At 15), opôs-se a Pedro (Gl 2.11-21) e discutiu com Barnabé por causa de Marcos (At 15.36-41). Fez três viagens missionárias prolongadas (At 13 – 20), fundou inúmeras igrejas na Ásia Menor, na Grécia e, possivelmente na Espanha (Rm 15.24,28). Escreveu cartas para inúmeras igrejas e a vários indivíduos que agora compõem o cânon do Novo Testamento. Depois da prisão em Jerusalém, foi enviado para Roma (At 21.27, 28.16-31). De acordo com a tradição cristã foi libertado da prisão, o que lhe permitiu mais obras missionárias; aprisionado novamente, permaneceu preso mais uma vez em Roma e foi decapitado fora da cidade.
Autor de 13 Epístolas: Romanos, I Coríntios, II Coríntios, Gálatas, Efésios, Filipenses, Colossenses, I Tessalonicenses, II Tessalonicenses, I Timóteo, II Timóteo, Tito e Filemon.

6) Autor de Hebreus. O autor de Hebreus é desconhecido. Por séculos achou-se que Paulo o teria escrito (contrariando sua costumeira saudação e seu nome). Tertuliano (que escreveu por volta de 150-230) disse que Hebreus foi escrita por Barnabé. Martinho Lutero sugeriu que Apolo foi o autor. Outros sugeriram que Priscila ou Filipe poderiam ter escrito esta epístola. Mas a opinião geral é que Paulo a teria escrito, mesmo sem nenhuma prova de sua autoria.
O autor demonstra ser um profundo conhecedor do Antigo Testamento, cujo texto cita sempre da tradução conhecida como LXX ou Versão dos Setenta. O seu domínio desse idioma lhe permitiu redigir a Epístola, que é o documento estilisticamente mais depurado de todo o Novo Testamento.
A especulação sobre sua autoria é infrutífera, e a melhor conclusão é a de Orígenes, no século III, que declarava que só Deus sabe quem escreveu Hebreus.

7) Tiago, autor da Epístola Universal do Apóstolo Tiago, era irmão de Jesus. Embora não cresse em Seu irmão (Jo 7.5), após vê-lo ressuscitado (I Co 15.7) passou à fileira dos santos (At 1.14). Tornou-se um apóstolo (Gl 1.19) e líder da Igreja de Jerusalém (At 15.13-19). Foi chamado por Paulo de coluna da Igreja (junto com Pedro e João, Gl 2.9). Talvez fosse casado, pois Paulo fala que os irmãos do Senhor eram casados (I Co 9.5).
Tiago foi martirizado em Jerusalém: Eusébio de Cesaréia conta como lançaram Tiago do pináculo do templo e (como ele não morreu mesmo assim) depois ainda o apedrejaram, o que o historiador judeu Flávio Josefo, contemporâneo do apóstolo, confirma.

8) Simão Pedro era um dos Doze Apóstolos do Cordeiro. Irmão de André, ambos eram pescadores.
Era natural de Betesaida (Jo 1.44), mas morava em Cafarnaum (Mt 8.14-17), onde Jesus curou sua sogra. Sim, Pedro era casado (I Co 9.5). Eusébio ainda escreve que Clemente de Alexandria disse que o apóstolo teve filhos (Livro V, XXX).
A tradição antiga sugere que Pedro foi martirizado em Roma junto com a severa perseguição de Nero aos cristãos depois do incêndio de Roma em 64 d.C. Foi crucificado de cabeça para baixo a seu próprio pedido, por não se sentir de valor suficiente para morrer da mesma forma que o seu Senhor havia morrido.
Autor de duas Epístolas Universais: I Pedro e II Pedro.

9) Judas, autor da Epístola Universal de Judas, era um dos irmãos de Jesus (Mt 13.55, Mc 6.3).
Era casado (I Co 9.5), e Eusébio de Cesaréia fala sobre os seus descendentes.